Três casos de estupro de menores são registrados em três dias na região do Caparaó

Foto ilustrativa.

O plantão da Delegacia Regional de Alegre registrou, três ocorrências de estupro de vulnerável, em três dias (de quinta-feira, 11 a sábado, 13). Segundo o delegado plantonista, Dedier de Carvalho, os casos são de Ibitirama, e Guaçuí.

Ibitirama

A vítima, que vinha sendo estuprada desde 2016 pelo irmão mais velho (de 25 anos), tomou coragem e contou sobre as agressões para uma de suas irmãs, por envio de SMS.

A vítima também relatou que outra irmã menor também sofria abusos sexuais e os dois viviam em constante ameaça.

De acordo com o depoimento das vítimas, o irmão mais velho praticou relações sexuais com o menor ao menos dez vezes em três anos. Nesse mesmo período, o suspeito abusava da outra irmã, fazendo carícias em seus seios, além de algumas tentativas de estupro frustradas.

Para manter as vítimas em silêncio, o suspeito ameaça matar os pais e os outros irmãos.

Foto ilustrativa.

Ao tomar conhecimento dos abusos, a irmã registou um boletim de ocorrência e levou os irmãos para a casa dela. O Conselho Tutelar acompanha o caso.

Na Delegacia, os menores foram encaminhados para exames de lesões, conjunção e coito anal.

O suspeito foi conduzido à Delegacia Regional de Alegre, prestou declarações e foi liberado, por não ter sido pego em flagrante.

Guaçuí

Em Guaçuí, um homem de 53 anos foi detido, neste sábado (13), suspeito de estuprar um adolescente que, segundo laudo médico, possui mentalidade de uma criança de cinco anos.

A vítima relatou que o homem ofereceu a ele R$ 20 reais e o levou para trás de uma bananeira, no quintal da casa do suspeito, onde praticou o abuso.

O menor disse ainda que outras crianças também foram abusadas pelo mesmo homem. Testemunhas chamaram a Polícia Militar, que o deteve.

Segundo o delegado de plantão, o suspeito foi autuado em flagrante delito pelo crime de estupro de vulnerável, com pena de oito a 15 anos de prisão. Em seguida, ele foi encaminhando ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro de Itapemirim.

Foto ilustrativa.

O outro caso, ocorrido na última quinta-feira (11), também em Guaçuí, foi denunciado pela mãe da vítima. A mulher relatou que sua filha estava dormindo com um homem de 21 anos, sem o seu consentimento.

Com o acompanhamento do Conselho Tutelar, a Polícia Militar foi até a casa do rapaz, que foi pego em flagrante em a adolescente na cama.

O suspeito foi detido e encaminhado à Delegacia da cidade. Ele foi autuado em flagrante delito pelo crime de estupro de vulnerável, com pena de 8 a 15 anos de prisão. Em seguida, encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cachoeiro de Itapemirim.

Os pais precisam estar atentos

Diante dos casos de abusos sexuais registrados neste fim de semana o delegado Dedier de Carvalho faz um alerta aos pais.

Foto: Divulgação.

“Os pais quando são procurados pelos filhos tem que dar a devida atenção a eles e abrir o coração para uma conversa e ouvi-los. Mas isso não ocorre, pois os pais hoje ficam muito ocupados com a correria do dia a dia e com a conexão em redes sociais e, dessa forma, o preço a pagar é muito alto”, destaca Carvalho.

O delegado completa “Os pais tem que policiar bem os seus filhos que também são muito conectados ao mundo da tecnologia e com isso, dependendo do caso, acabam se envolvendo em grandes problemas”.

Para Carvalho, o problema começa na educação dos filhos. E é dever dos pais policiar e conversar sempre com os filhos.

“Hoje, na maioria dos casos, não há essa vigilância e, muito menos, a conversa. É uma questão de educação”, finaliza.

Siga, Curta e Compartilhe:
error