Inscrições para concurso da Polícia Civil se encerram na próxima segunda-feira (11)

Foto: Divulgação.

Esta é a última semana de inscrições para o concurso da Polícia Civil do Espírito Santo (PCES). São 173 vagas para diferentes cargos de nível médio e superior. As inscrições terminam na próxima segunda-feira (11) e podem ser feitas através do site do Instituto AOCP, que é a banca escolhida para realizar o concurso. A taxa de inscrição é de R$ 146,73 para cargos de nível superior e de R$ 96,50 para o de nível médio.

O delegado-geral, José Darcy Santos Arruda, comentou a respeito da importância do concurso para a PCES, “todo concurso traz novos talentos para a Polícia Civil, o que permite uma verdadeira oxigenação do nosso quadro de vagas. Cada novo policial traz consigo conhecimentos e habilidades únicas para as equipes da PCES, aumentando as possibilidades de ação da instituição. Serão investigadores, escrivães, peritos, médicos e auxiliares de perícia médico-legal que fortalecerão as investigações criminais e a materialização das provas. Psicólogos e assistentes sociais para o atendimento do público interno e atuação nos programas de responsabilidade social desenvolvidos pela instituição e nas delegacias”.

São 153 vagas de nível superior, com subsídio de R$ 5.103,84. Elas estão divididas em 60 vagas para investigador; 50 para perito oficial criminal – organizadas em oito áreas; 20 para escrivão de polícia; 15 para médico-legista; quatro para assistente social e quatro para psicólogo. Já para o nível médio, estão disponíveis 20 vagas como auxiliar de perícia médico-legal, com subsídio de R$ 3.622,08.

“Buscamos, dentre os candidatos, aqueles que sejam vocacionados para a causa pública, nossa missão fundamental é servir. Esperamos comprometimento com a instituição, pois dela depende a defesa da vida e do patrimônio das pessoas. Ambas as características são relevantes porque eles precisarão exercer uma investigação criminal de excelência, prestar atendimento de qualidade à população capixaba e, ainda, ter visão além do senso comum, percebendo o tempo em que vivemos”, detalhou o delegado-geral.

Siga, Curta e Compartilhe:
error