Festa cancelada: organizadores de “Baile do Mandela” em Guaçuí são detidos com armas e drogas

Foto: Divulgação.

Três rapazes foram detidos com treze papelotes de cocaína, dois revólveres calibre 38, munições e dinheiro, na madrugada deste domingo (15), durante a festa de Dores do Rio Preto. Dois deles são suspeitos de organizar um “baile do Mandela” em Guaçuí.

A Policia Militar do 3° Batalhão em Alegre, por meio do serviço de inteligência, identificou a programação de uma festa que seria realizada neste domingo (15) sem autorização, denominada “Tardezinha dos Crias”. Diante da informação a Polícia acionou os outros órgãos competentes, Ministério Público, Prefeitura e Corpo de Bombeiros para buscar a não realização do evento, se antecipando aos riscos que pudessem ser gerados aos frequentadores e aos moradores.

Com isso, durante o Exposição agropecuária de Dores do Rio Preto, dois dos três organizadores deste “Mandela” foram detidos portando armas e drogas. Eles estavam organizando por redes sociais o evento.

De acordo com a PM, festas assim acontecem no decorrer do dia até a madrugada. Costuma envolver drogas e porte de armas, sendo difícil o controle de quem frequenta o local.

Para a PM este tipo de evento que ocorre sem autorização do Poder Público, em via pública.

Geralmente os bailes são organizados por pessoas suspeitas de envolvimento com o tráfico de entorpecentes e ocasiona diversos transtornos aos moradores. Os detidos desta madrugada possuem passagem pela Polícia.

Entre os participantes dos ‘Bailes do Mandela’, estão adolescentes menores de idade, que ficam expostos ao uso de bebidas alcoólicas e outras drogas.

O som ligado no volume máximo, durante todo dia e noite, em desrespeito aos limites permitidos pela legislação, apavorando os moradores. Tirando o sossego com atos de vandalismo, confusões, troca de tiros e depredação do patrimônio público e também privado.

A Polícia militar também destacou que somente com a participação ativa da população será eficaz para evitar eventos irregulares. Para isso, os moradores podem manter contato com a fiscalização municipal, com o (190) ou com o Disque-Denúncia (181).

Siga, Curta e Compartilhe:
error