Operação no Rio identifica 11 detentos que ordenavam crimes da prisão

Operação realizada em unidades prisionais do estado do Rio procurou desarticular uma quadrilha que atuava no tráfico de drogas e na prática de extorsões na Região dos Lagos. A ação realizada pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) do Rio de Janeiro, em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público do estado, contou com 60 homens e foi realizada em sete unidades prisionais do Complexo Penitenciário de Gericinó, em Bangu, e no presídio de Japeri, na Baixada Fluminense.

As ordens para os crimes saíam do presidío. Os detentos usavam celular para entrar em contato com seus comandados em várias cidades da região.

Na operação, 11 internos, ligados à quadrilha, foram identificados. Entre eles, o preso Marcelo Tinoco, que é um ex-policial militar e, segundo as denúncias, praticava o crime de extorsão e foi flagrado com um aparelho de celular dentro da cela.

A ação resultou na apreensão de 35 celulares, quatro roteadores, equipamento usado para pegar o sinal de celular e drogas dentro das celas, que ainda não foram contabilizadas.

Outra ação

Na última segunda-feira (28), a Seap fez uma grande operação no Presídio João Carlos da Silva, em Japeri, na Baixada Fluminense, com a finalidade de combater o crime organizado e o tráfico de drogas no sistema prisional do estado. Quase 70 aparelhos de telefonia celular foram encontrados nas celas dos internos.

Na ação foram apreendidos 69 aparelhos de telefonia celular, uma balança de precisão, carregadores, fones de ouvidos, um roteador, usado para obter sinais de internet, livros com anotações supostamente do tráfico de drogas, e grande quantidade de invólucros contendo erva seca e pó branco, supostamente maconha e cocaína, ainda não contabilizados.

 

Agência Brasil
Autor: Douglas Corrêa – Repórter da Agência Brasil

Siga, Curta e Compartilhe:
error