Instituto de Educação de Surdos apura retirada de vídeos de site

O Instituto Nacional de Educação de Surdos (Ines), órgão do Ministério da Educação (MEC), instaurou sindicância para obter todas as informações sobre a retirada de alguns vídeos do site TV Ines e atribuir as devidas responsabilidades, de acordo com nota divulgada pelo MEC. A pasta diz ainda que os vídeos serão inseridos novamente na página.

A nota foi publicada ontem (30) à noite nas redes sociais do MEC. A TV Ines é a primeira webTV em Língua Brasileira de Sinais (Libras), com legendas e locução. É feita em parceria do Ines com a Associação de Comunicação Educativa Roquette Pinto (Acerp).

Desde a semana passada, circula nas redes sociais e no WhatsApp mensagem com uma lista de vídeos que não estavam mais disponíveis no site da TV. A maioria é do programa Manuário, que apresenta novos itens lexicais em Libras. A cada episódio são apresentadas curiosidades, cultura e história sobre a vida de filósofos, pensadores e personalidades marcantes, conforme a descrição do programa.

Não foram encontrados episódios que tratavam da vida de pensadores, como o pensador alemão Karl Marx. Também não é possível localizar entrevista do deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ), no programa Café com Pimenta.

Comunicado

No início da semana, o diretor do Ines, Paulo André Martins de Bulhões, divulgou nota na qual disse que foi surpreendido com a notícia e que tomou conhecimento sobre a ausência dos vídeos no final da semana passada. Na segunda-feira (28), ele diz que se reuniu com a responsável pelo contrato entre o Ines e a TV Ines para averiguar o ocorrido.

“Na ocasião, ela informou que também foi surpreendida e que não foi informada sobre as remoções”, diz o texto, acrescentando que foi enviado então um ofício à direção da Acerp demandando esclarecimentos.

O diretor acrescentou que em momento algum o Ines ou o MEC solicitaram ou foram informados da retirada desses vídeos. “O Ines e o MEC têm o dever constitucional de respeitar as diferenças e a liberdade de pensamento e expressão. Demandaremos à TV Ines providências para que os vídeos voltem ao ar”, diz.

Procurada pela Agência Brasil, a TV Ines, enviou, ontem (30), nota na qual diz que faz parte “do dia a dia do canal a saída de conteúdo e entrada de novos. Esses ajustes são necessários, para o rodízio da programação”.

Agência Brasil
Autor: Mariana Tokarnia – Repórter da Agência Brasil

Siga, Curta e Compartilhe:
error