Videomonitoramento: Quem vai monitorar?

Foto: Internet.

O projeto de implantação do serviço de videomonitoramento em Guaçuí está em fase de instalação das 21 câmeras, que ficarão espalhadas em pontos estratégicos da cidade. Contudo, ainda não se sabe quem será responsável pelo monitoramento destas imagens. Após três anos de planejamento e um investimento que ultrapassa R$ 160 mil dos cofres municipais, o projeto pode estagnar por falta de mão de obra.

A atividade de videomonitoramento é desenvolvida por um conjunto de equipamentos que captam imagens e as transmitem, em tempo real, para uma central de monitoramento, para serem gerenciadas. Sendo assim, é necessário que tenham pessoas responsáveis pelo controle das imagens.

Durante a assinatura da ordem de serviço para instalação dos equipamentos a prefeita Vera Costa declarou que, após o término da implantação das câmeras, será feito um termo de doação para o Governo do Estado. 

Segundo a prefeita, o município não tem pessoal para realizar esse serviço. “O ideal é que a Polícia Militar fique responsável pelo monitoramento, porque o município não tem pessoal para realizar esse serviço”, afirmou Vera Costa.

A prefeita pediu, inclusive, que os vereadores e os representantes das entidades presentes apoiem o município nessa solicitação de que a Polícia Militar assuma o monitoramento. De acordo com o projeto da Prefeitura, a central deve ser instalada na Companhia da Polícia Militar de Guaçuí. “Estive com o governador Renato Casagrande, onde sugeri que ele utilizasse pessoal da reserva da PM, pagos pelo Estado, porque o município não tem condições de contratar esse pessoal”, contou. Vera Costa completou sua fala ressaltando que levou em conta, ainda que segurança pública é um dever do Estado e não do município.  

De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública e Defesa Social (Sesp), o ofício envidado pela Prefeitura de Guaçuí foi recebido pela Secretaria de Estado da Segurança Pública, que está analisando a possibilidade de administrar o sistema e ceder policiais da reserva para o trabalho. Porém, a Sesp não confirmou se o pedido será atendido. 

Para a realização do serviço a Prefeitura divulgou que está sendo gasto R$ 167.921,00 de recursos municipais.

Siga, Curta e Compartilhe:
error