Produtores rurais pedem ajuda a parlamentares para renegociação de dívidas

Foto:Lissa De Paula.

O vice-presidente da Associação Agricultura Forte, Edivaldo Permanhane, pediu na tribuna da Assembleia Legislativa (Ales), nesta terça-feira (12), que os parlamentares ajudem os produtores rurais a renegociarem suas dívidas com bancos. Ele apontou a longa estiagem pela qual o estado passou e a crise econômica como fatores que levaram os agricultores a perderem a capacidade de honrarem seus compromissos.

“Tivemos a maior seca dos últimos 80 anos. Perdemos todas as nossas lavouras, nossas produções de 2014 a 2017, foi tudo perdido. Em 2018 produzimos um pouco, mas devido à crise econômica não pagou nem o custo. O produtor não está tirando o custo de produção das lavouras, não estamos conseguindo pagar as contas”, contou.

Ele informou que os bancos estão negativando os produtores, ajuizando as dívidas e que isso os impede de comprar a prazo nas lojas itens como adubos e defensivos, fundamentais para a produção agrícola. Para o produtor, o governo federal deveria ajudar a resolver esse imbróglio com o setor bancário.

Permanhane falou que as demandas dos produtores passam por uma renegociação que conceda 20 anos para o pagamento das dívidas, com quatro anos de carência e sem cobrança de juros. “Nossa empresa é a céu aberto, por que só produtor tem que pagar o risco?”, indagou.

A presidente da Comissão de Agricultura da Casa, Janete de Sá (PMN), foi a responsável pela vinda do produtor rural. De acordo com ela, o endividamento atinge agricultores de todo o Espírito Santo, por isso a necessidade de envolver todos os setores na busca por uma solução para o caso.

Também fizeram coro com a necessidade de renegociação das dívidas dos produtores rurais os deputados Dary Pagung (PRP), Marcos Garcia (PV), Raquel Lessa (Pros), Luciano Machado (PV) e Freitas (PSB).

Siga, Curta e Compartilhe:
error