Parceria entre Anater e Incaper potencializa agricultura familiar no Espírito Santo

Foto: Anater

O Programa Ater Mais Gestão está renovando a esperança de agricultores familiares do Espírito Santo. Realizado pela Agência Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (Anater) em parceria com o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper), o Ater Mais Gestão integra 36 empreendimentos da agricultura familiar, entre cooperativas e associações, totalizando cerca de 2.500 famílias de agricultores capixabas, que irão receber acompanhamento técnico durante dois anos, para se tornarem mais eficientes e qualificados para participar dos mercados disponíveis, especialmente o institucional.

O presidente substituto da Anater, José Maria Pimenta Lima, explica que o projeto Ater Mais Gestão é de grande importância, sobretudo na região do Semiárido, onde um dos grandes problemas é a deficiência e fragilidade dos empreendimentos. “Se fizermos uma análise dos agricultores familiares de Santa Catarina, Rio Grande do Sul e Paraná, o sucesso da atividade do agricultor familiar naquela região se deve à âncora do cooperativismo. Por isso o programa Ater Mais Gestão é tão importante, para atender as organizações sociais e assessorar no processo de gestão, para que eles tenham projetos de venda, que consigam comercializar com os programas do governo e com a iniciativa privada, e para melhorar de maneira geral todas a questão do empreendimento”, analisa o presidente.

Luiz Carlos Leonardi Bricalli, coordenador do programa pelo Incaper, explica que os empreendimentos já foram cadastrados e que estão na fase de elaboração dos projetos. “O Espírito Santo possui diversas cooperativas e associações de agricultores familiares. Estamos elaborando os projetos, que abrangem diversas áreas, como ambiental, econômica, jurídica, organizacional, ampliando sobremaneira o leque do programa”, explica.

Segundo o coordenador, o Mais Gestão atende exatamente aquilo que preconiza a Política Nacional de Assistência Técnica e Extensão Rural (PNATER), que é fortalecer as organizações sociais. “E ninguém faz nada sozinho nesta vida. A gente tem um cenário de dificuldade no serviço de extensão rural, não só no Espírito Santo, mas no Brasil como um todo, e não é de agora, já há bom um tempo. A parceria com a Anater está fortalecendo a Ater nos estados e esperamos poder retomar de verdade os trabalhos. A extensão rural no Brasil já é existe há mais de 60 anos, passou por várias fases, e estamos num momento em que a Anater se configura como fundamental para sua continuidade. Nosso foco, nesse momento, é o mesmo que o da Anater, que é potencializar as organizações sociais, os agricultores familiares, desde o campo da produção até a comercialização do produto final. Queremos consolidar essa parceria e não vamos medir esforços para que tudo dê certo”, reitera.

Além o programa Ater Mais Gestão da parceria da Anater com o Incaper também está 1008 famílias de agricultores da região do Semiárido capixaba, através do projeto D. Helder Câmara.

Outras parcerias

A atuação da Anater no Espírito Santo também se dá através da parceria com empresas prestadoras de Ater, contratadas via chamada pública. Essa modalidade de contrato integra outros 10 empreendimentos da agricultura familiar ao programa Ater Mais Gestão, e 672 famílias de agricultores pelo projeto D. Helder Câmara, totalizando 46 empreendimentos e 1680 agricultores familiares assistidos. 

Para executar as ações previstas nos dois projetos, 131 extensionistas rurais já passaram pelo programa de formação da Anater.

Texto: Jerusia Arruda

Siga, Curta e Compartilhe:
error