MP realiza operação em Santa Casa de Guaçuí

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), está em Guaçuí na manhã desta terça-feira (7), realizando uma operação do Ministério Público, na Santa Casa de Misericórdia da cidade e nas residências de supostos envolvidos em irregularidades na instituição.

A ação recebeu o apoio de Policiais militares do Núcleo de Inteligência da Assessoria Militar do MPES, da Polícia Militar e da Polícia Civil do município. No total, 41 militares e oito policiais civis participaram da operação.

Durante a operação, que segue em segredo de justiça, o atual gestor,
José Areal Prado Filho, os médicos, Eduardo José de Oliveira Almeida,
Victor Oliveira Almeida e Valdir Aguiar Filho, e os empresários, Carlos Alberto de Almeida e Renato Monteiro Pinho, foram detidos.

Segundo o promotor de Guaçuí, Gino Bastos, 11 mandados de prisão e 15 de busca e apreensão foram emitidos após uma investigação minuciosa do caso.

Três médicos não foram localizados e são considerados foragidos da justiça, são eles, Daniel Sabatini, Jehovah Guimaraes Tavares e Hélio José de Campos Ferraz Filho.

O vereador Valmir Santiago está na lista de investigados, mas ainda não foi encontrado.

O funcionário da Santa Casa, Denis Vaz, que também é investigado e teve mandado de prisão expedido, está em viagem, mas os advogados já estão em contato com o Ministério Público.

Em nota, o hospital afirma colaborar com o MP, chama de impasse a ação desta manhã e declara que “A Santa Casa está colaborando com a investigação e é a maior interessada em encontrar soluções para o impasse”.

Segundo a nota esclarece que o atendimento ao público continua normalmente. “Informamos à população que a prestação de serviços em nada será prejudicada mantendo todas os seus atendimentos (consultas, exames, entre outros) serão mandos normalmente”.

Recentemente, a Santa Casa foi submetida a uma auditoria que levou a instituição a assumir a gestão da UTI, que antes era administrada por um empresário local (Leia mais aqui).

Os detidos foram encaminhados ao Centro de Detenção Provisória (CDP), de Cachoeiro de Itapemirim e ao Presídio de Viana.

Siga, Curta e Compartilhe:
error