Mostra fotográfica “Apolônias do Bem” retrata mulheres que tiveram dentição afetada por agressões

Foto: Divulgação.

A vice-governadora do Espírito Santo, Jaqueline Moraes e a primeira-dama, Virginia Casagrande, se uniram para trazer ao Estado um projeto voltado para as mulheres vítimas de violência. É a mostra fotográfica “Apolônias do Bem”, um programa que retrata mulheres que tiveram a dentição afetada por agressões. O evento acontece nesta sexta-feira (03), a partir das 18 horas, com uma palestra de abertura com a autora do livro “Mulher Líder de Si Mesma”, Gina Strozzi.

O objetivo é aumentar a participação de odontólogos nos projetos que acontecem no Estado. Hoje são 549 dentistas voluntários da Turma do Bem, atuando diretamente nas ações Dentistas do Bem e Apolônias do Bem. 

No Espírito Santo, o projeto teve início em 2014, nas cidades de Vitória e Vila Velha, por meio de uma parceria entre a Turma do Bem e o Tribunal de Justiça do Espírito Santo (TJES), com o objetivo de atender dez mulheres integradas ao programa Botão do Pânico. Em 2016, o atendimento se estendeu a Marataízes, Guarapari, Cachoeiro de Itapemirim, Linhares e Piúma, em parceria com o Ministério Público do Espirito Santo. Cerca de 20 mulheres já foram atendidas no Estado.

Desde 2012, quando começou a ser desenvolvido, o projeto Apolônias do Bem já garantiu atendimento a mais de mil mulheres cisgênero e transgênero de todo o Brasil. As beneficiárias são selecionadas por meio de triagens, passando por um rápido exame oral, não invasivo, e respondem ao OHIP (sigla em inglês, que significa Perfil de Impacto de Saúde Oral), uma ferramenta científica que mede o impacto da saúde bucal na qualidade de vida de uma pessoa.

São priorizadas as mulheres com problemas odontológicos mais graves e OHIP mais alto, que sustentam a família e retomaram os estudos ou estão fazendo cursos de capacitação profissional.

Os tratamentos são oferecidos por meio de uma rede de dentistas voluntários, que realizam todos os procedimentos que as mulheres necessitam, independentemente da complexidade apresentada. Uma vez no programa, as beneficiárias e os profissionais que as atendem são acompanhados pelos funcionários da Turma do Bem até que os tratamentos se encerrem.

Diante da muitos casos de agressão contra as mulheres, a vice-governadora  e a primeira-dama – que é dentista aposentada –, resolveram focar em dar visibilidade ao projeto no Espírito Santo, como forma de ampliar o tratamento integral e também gratuito às vítimas da violência doméstica.

Apolônias do Bem – O projeto leva esse nome em homenagem à personagem histórica que viveu em Alexandria, Egito e morreu no ano de 249 d.C, após ser presa, espancada e ter seus dentes arrancados. A ação depende da iniciativa privada e teve uma redução significante dos tratamentos devido à crise econômica do País. Juntos, para espalhar sorrisos e mudar vidas é a aposta do projeto. 

Siga, Curta e Compartilhe:
error