Desvio em Guaçuí: Congestionamento, buracos e lama são alguns problemas enfrentados por motoristas e moradores

Foto: Danielle Muruci.

Após a interdição da Ponte do Aézio, na Br 482, em Guaçuí, os veículos estão passando por uma rota alternativa que vem causando transtornos para motoristas e moradores do bairro Vila dos Professores. Além disso, entre o bairro e a rodovia, é preciso passar por uma estrada de chão precária, com buracos, lama e pontos onde só é possível passar um carro por vez.

Estrada de chão

Foto: Wellington Vieira.

Um congestionamento foi registrado por populares, na tarde desta terça-feira (26). Foi preciso muita paciência para atravessar pela rota alternativa.

Uma carreta bitrem também teve problemas no desvio, não conseguindo contornar em uma das curvas.

Na manhã de hoje (27), uma retroescavadeira estava no local realizando serviços de patrolamento e, alguns trechos, sendo alargados, para passagem de veículos longos e pesados pela estrada. E, segundo a Prefeitura, depois será feito o ensaibramento.

Vila dos Professores

Com o aumento do fluxo de veículos, os problemas começaram a aparecer para moradores da rua onde está sendo feito o desvio. Quem mora ou tem comércio por ali se queixa da velocidade com que os carros e caminhões estão passando.

Foto: Danielle Muruci.

Uma delas é a comerciante Aracele Soares. Ela conta que o bairro sempre foi muito tranquilo e esse movimento todo traz preocupação, principalmente por causa das crianças que tem costume andar sozinha até sua mercearia. “Ontem eu tive que sair e atravessar um menino que veio aqui. Ele está acostumado a vir sozinho, mas os carros estão passando como se estivessem no asfalto”, conta.

Outro problema apontado por diversas pessoas são os tremores nas estruturas de prédios, causados pela passagem de caminhões pesados. “As paredes do meu apartamento tremem quando passa caminhão”, relata Manoela Rocha.

A população também questiona a capacidade do calçamento aguentar a passagem constante de caminhões com cargas pesadas.

Ponte

Uma equipe do DNIT está na ponte, escavando a estrutura. O objetivo é avaliar se será possível recuperá-la ou será necessário construir tudo novamente. Não há previsão para a resolução do problema.

De acordo com a Prefeitura, a Defesa Civil de Guaçuí e o DNIT estão conversando sobre a possibilidade de abertura de um desvio em outro local, passando pela zona rural do município, para retirar  o tráfego pesado de dentro da cidade.

O coordenador Joilson Wagner está percorrendo possíveis pontos para ser feito esse desvio, junto com técnicos do Dnit. 

Foto: Danielle Muruci.
Siga, Curta e Compartilhe:
error