Construção de centro de gerenciamento de desastres e implantação do sistema Alerta! é anunciado pelo Governo do Estado

Foto: Hélio Filho/Secom.

O governador do Estado, Renato Casagrande, anunciou, nesta sexta-feira (9), a construção do Centro Integrado de Gerenciamento de Riscos e Desastres (CIGRD). O investimento de R$ 56 milhões deve mudar o Espírito Santo de patamar na questão de prevenção a desastres naturais. No mesmo evento, Casagrande assinou o Decreto que marca o lançamento do sistema Alerta!, que vai unificar as bases de dados hidrometeorológicas, permitindo aos gestores mais informações nas tomadas de decisões para enfrentar os riscos de desastres.

As duas novidades foram lançadas durante o 8º Seminário Capixaba de Prevenção de Riscos e Desastres, promovido pela Defesa Civil Estadual, que acontece no auditório do Tribunal de Contas do Espírito Santo, na Enseada do Suá, em Vitória, durante todo o dia. Fundamentado na política de Proteção e Defesa Civil, o Estado firmou um contrato de financiamento junto ao Banco Internacional para Reconstrução e Desenvolvimento (BIRD) para implantação do “Programa de Gestão Integrada das Águas e da Paisagem”.

O programa está estruturado em componentes, sendo que o subcomponente “Gestão de Riscos e Desastres” está sob a responsabilidade da Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec), órgão integrante do Corpo de Bombeiros Militar do Espírito Santo (CBMES), e se desdobra em linhas de ações que incluem as duas iniciativas divulgadas nesta sexta.

Em seu pronunciamento, o governador comemorou o passo dado pelo Governo do Estado em relação ao acompanhamento dos fenômenos climáticos e na capacidade de ação com a construção do CIGRD. “O Centro faz parte do sistema estadual de alerta, permitindo que possamos alertar a população sobre fenômenos naturais extremos, como inundações, estiagem prolongada, chuvas torrenciais e outros. Esse Centro vai estar integrado às Defesas Civis de cada município, à Defesa Civil Nacional, além das informações de estações meteorológicas e hidrometeorológicas que nós temos hoje no Estado. Vamos captar todas as informações e teremos capacidade de alertar a população para diminuir ou evitar os riscos”, afirmou.

Casagrande adiantou que o Centro de Gestão Integrada de Riscos e Desastres será edificado dentro da área do Quartel Central do Corpo de Bombeiros, em Vitória. A obra tem um custo estimado em R$ 56 milhões, incluindo toda a estrutura e equipamentos que serão instalados no local. “Vai contar com tecnologia de ponta, em que serão processadas todas as informações e onde todas as ações que os órgãos públicos deverão tomar vão ser decididas”, completou.

O local reunirá tecnologia de ponta, nos moldes de grandes centros de referência em gestão de desastre, tanto nacionais, quanto internacionais, como o Centro Nacional de Gerenciamento de Riscos e Desastre (Cenad), o Centro de Gerenciamento de Santa Catarina, o Centro de Operações do Rio de Janeiro, e os Centros de Operações em Emergência de Louisiana e da Flórida, nos Estados Unidos.

Para o governador, a modernidade do CIGRD será fundamental para conferir mais agilidade às forças operacionais de segurança na prevenção de desastres e na tomada de decisões. “Este Centro será um dos mais modernos do mundo e que estará funcionando daqui um ano e meio a dois anos”, projetou.

O Centro vai ocupar uma área aproximada de 1,5 mil metros quadrados, distribuída em quatro pavimentos e terá as seguintes funcionalidades: monitoramento 24 horas, sete dias por semana; emissão de alertas; gerenciamento de riscos; gerenciamento de desastres; e capacitação. Além da função operacional, o CIGRD será uma vitrine tecnológica, elevando tanto a Defesa Civil Estadual, quanto o Governo do Estado para um patamar de excelência em gestão de riscos e desastres no Brasil.

O secretário de Estado da Segurança Pública e Defesa Social, Roberto Sá, ressaltou a união de esforços de vários atores envolvidos na prevenção de desastres: “É um orgulho estar na condução das atividades de uma instituição que prima tanto pelo treinamento e capacitação. Isso serve para minimizar danos e, nesse caso, minimizar danos é salvar vidas. Torcemos para que esses eventos naturais não ocorram, mas se acontecerem estaremos preparados. A doutrina de comando de incidentes é muito apropriada. Temos que afastar as vaidades institucionais e o Corpo de Bombeiros nos ensina a salvar as pessoas. Quando usamos esse conhecimento, todos trabalham de forma eficiente buscando o melhor resultado para sociedade”.

O comandante do Corpo de Bombeiros Militar, coronel Alexandre Cerqueira, lembrou ainda dos desafios impostos pelas mudanças climáticas e a ação do homem no meio ambiente.  “Temos hoje uma ocupação desordenada, desequilíbrio ambiental e a situação dos desastres têm aumentado, mas podemos amenizar os efeitos dele. A palavra integração tem que fazer parte de todo o sistema. O Plano Estadual de Proteção e Defesa Civil foi inaugurado pelo governador no primeiro mandato e ele sempre se mostrou preocupado com as questões de desastres naturais”, explicou.

Para o coronel Cerqueira, “o tempo reduzido de atendimento é fundamental na hora dos desastres”. Ele parabenizou ainda a presença maciça de todos os municípios capixaba ao evento que deve aprimorar a integração dos órgãos e agentes responsáveis pela gestão de riscos e desastres. 

O subsecretário de Estado de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Ronald Mignone, também participou do evento. “Somos os gestores do processo de licitação desta importante entrega, além de outras de igual importância que realizamos para a Defesa Civil dentro do Programa de Gestão das Águas e da Paisagem”. Segundo Mignone, o respeito às leis ambientais é fundamental para que se consiga reduzir a ocorrência desses eventos que tanto prejuízo causam à população.

Sistema Alerta!

Como resultado do Programa, a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil levantou a necessidade de unificar as bases de dados hidrometeorológicas contidas em várias instituições públicas capixabas, a fim de tornar a gestão das informações mais palpáveis. Desta forma, criou-se o Sistema Estadual de Monitoramento e Alerta de Desastre, o Alerta!, que passa a integrar o Sistema Estadual de Proteção e Defesa Civil. A ferramenta possibilitará aos gestores atuarem de forma mais assertiva na tomada de decisões para enfrentar os riscos de desastre no Espírito Santo. 

De forma mais objetiva, o sistema dotará o Estado de uma estrutura integrada de planejamento, ordenação e análise das informações de mapeamento, monitoramento, previsão e alerta de variáveis meteorológicas, hidrológicas, geológicas e oceanográficas, bem como outras informações técnico-científicas do meio físico. Vai atuar nas ações de monitoramento, que se caracterizem como riscos e ameaças de desastre, fornecendo, na iminência, durante e após a ocorrência de eventos, informações para a tomada de decisões.

“O ‘Alerta!’ será mais rápido e mais exato. Teremos condições de alertar uma região de forma mais exata pelo nível de informação que teremos e pela capacidade de processamento [de informações]. As Defesas Civis dos municípios, a Defesa Civil Estadual e o Corpo de Bombeiros também serão alertados com mais rapidez e precisão. Saberemos a velocidade do vento, se virá chuva ou não, então teremos capacidade de estar, de forma muito rápida, tomando medidas para evitar ou diminuir os riscos à vida e ao patrimônio”, pontuou o governador.

Fazem parte do sistema Alerta!: a Coordenadoria Estadual de Proteção e Defesa Civil (Cepdec); a Agência Estadual de Recursos Hídricos (Agerh); o Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural (Incaper); o Instituto Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Iema); o Instituto Jones dos Santos Neves (IJSN); e a Companhia Espírito-Santense de Saneamento (Cesan).

O coordenador da Defesa Civil Estadual, coronel André Có, lembrou a importância das duas ações. “É um complexo robusto para o nosso Estado. A informação vai chegar mais rápido para a população e vamos fazer análise mais pontual. O sistema vai ter um tempo mais eficiente. Os bancos de dados de mapeamento de área de risco estão prontos e temos as previsões meteorológicas. Vai ser importante para adiantar e precisar a ocorrência de desastres. Temos o Estado todo mapeado na questão das áreas de risco e o monitoramento é feito pelo município”.

Segundo o coronel, o sistema Alerta! já está pronto para receber as informações que vão chegar quando a rede estiver completa. “As ações estão sendo tomadas, o site está no ar e vamos começar a alimentar”, asseverou Có.

Siga, Curta e Compartilhe:
error