Carro de Boi: Justiça Federal revoga prisões preventivas dos investigados

Foto: Divulgação.

A Justiça Federal revogou, nesta sexta-feira (2), as prisões preventivas dos investigados na Operação Carro de Boi. O parecer foi emitido pelo Ministério Público Federal Procuradoria da República no Espírito Santo (MPF/ES).

De acordo com o documento, assinado pelo juiz federal Victor Yuri Ivanov dos Santos Farina, a prisão dos envolvidos não se afigura necessária.

Com isso, recebeu alvará de soltura; o empresário Carlos Alberto de Almeida Proveti, o vereador Valmir Santiago, o ex-provedor da Santa Casa de Guaçuí, José Areal Prado Filho, o supervisor Denis Vaz da Silva Ferreira, e os médicos, Daniel Sabatini Teodoro, Eduardo José de Oliveira Almeida, Hélio José de Campos Ferraz Filho e Victor Oliveira Almeida.

O juiz também decretou fiança para cada um dos investigados, no valor de 10 salários mínimos, a serem pagas no próximo dia útil (segunda-feira, 5). A tolerância do pagamento se deu pelo horário de encerramento do expediente bancário, que já havia sido encerrado.

No último dia 17, o caso havia sido encaminhado para o órgão federal após o juiz da 2ª Vara da Comarca de Guaçuí, Bruno Fritoli Almeida, declarar incompetência da Justiça Estadual para atuar na Operação Carro de Boi.

Leia mais:

Juiz declara incompetência da Justiça Estadual para atuar na Operação Carro de Boi

MP pede revogação de prisão de detidos na Operação Carro de Boi

Santa Casa de Guaçuí fala das irregularidades e medidas tomadas

Promotor fala sobre investigação na Santa Casa de Guaçuí

MP realiza operação em Santa Casa de Guaçuí

Siga, Curta e Compartilhe:
error