Associações agrícolas de Muniz Freire celebram contrato do Crédito Fundiário

Foto: Divulgação.

Duas associações de agricultores familiares de Muniz Freire tiveram a oportunidade de receber o contrato do Programa Nacional de Crédito Fundiário (PNCF). O acordo foi firmado nessa quarta-feira (20). A oportunidade é conferida pela Unidade Técnica Estadual (UTE) que, no Espírito Santo, está vinculada ao Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal (Idaf).

Pelo programa, os agricultores poderão adquirir a terra e realizar os investimentos necessários para se desenvolverem de forma independente e autônoma.

De acordo com o diretor-presidente do Idaf, Mário Louzada, que participou da solenidade de assinatura dos contratos, o crédito fundiário é uma importante ferramenta, que oferece condições para que os trabalhadores rurais possam comprar imóvel rural por meio de financiamento. “Além de adquirir a terra, o agricultor pode construir sua casa, preparar o solo, comprar implementos e ter acompanhamento técnico”, disse.

O evento foi organizado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares de Muniz Freire. Segundo o diretor-presidente do sindicato, Sebastião Gildo Mares Pereira, essa interação com o Idaf é essencial, inclusive para que outros produtores presentes do evento tenham conhecimento sobre a possibilidade de aquisição de terras pelo PNCF.

“Muniz Freire tem uma grande quantidade de pequenos produtores rurais, portanto, se incentivamos que eles possam comprar suas terras e investir, certamente isso contribui para aumentar a produção agrícola local e, consequentemente, a economia da região”, explicou o representante do sindicato.

Associações

As instituições que receberam o certificado para adesão ao programa totalizam investimentos em torno de R$ 325 mil. Além da aquisição da terra, os recursos serão utilizados para investimentos nas áreas de hortigranjeiro e cultivos como café, milho e feijão.

Pela Associação dos Agricultores Familiares do Córrego Santo Antônio da Boa Vista e Tombos foram adquiridos 6,44 hectares de terra, distribuídos entre dois produtores. Outros dois agricultores, responsáveis pela Associação dos Agricultores Familiares São Simão, adquiriram 10 hectares.

Texto: Francine Castro

Siga, Curta e Compartilhe:
error