Agricultura familiar ajuda na alimentação saudável dos alunos em escolas da Rede Estadual

Foto: Divulgação.

Um cardápio diversificado, nutritivo e com aquele gostinho do campo. Frutas, legumes, verduras, farinha de mandioca, feijão, ovos, polpa de frutas e derivados do leite como iogurte e requeijão cremoso, por exemplo, e, até mesmo, filé de tilápia, saem das mãos do produtor rural e vão direto para a mesa na hora do recreio nas escolas da Rede Estadual.

Os cardápios são todos elaborados pela equipe da Alimentação Escolar da Secretaria de Estado de Educação (Sedu) em parceria com as empresas de gestão da alimentação para garantir refeições saudáveis, procedendo com a inclusão dos produtos da agricultura familiar.

A subgerente de Apoio ao Estudante, Jaiara Ferreira Simões, destaca que “os gêneros da Agricultura Familiar são utilizados para compor os cardápios, destinados, inclusive, para os alunos que possuem alguma restrição alimentar, conforme a sua particularidade”, disse. Jaiara destaca que, de acordo com a comprovação por meio de laudo médico, os cardápios são elaborados, por exemplo, para alunos que apresentem intolerância a lactose ou diabetes.

Agricultura familiar

A aquisição dos gêneros alimentícios da Agricultura Familiar está previsto na Lei 11.947/2009, que determina a utilização mínima de 30% dos recursos repassados pelo FNDE no âmbito do PNAE. Anualmente, a SEDU realiza uma chamada pública para contratação de Cooperativas e Associações para fornecimento de gêneros alimentícios para alimentação escolar ofertada aos alunos de sua rede.

Atualmente, a Sedu possui 30 contratos vigentes, divididos em hortifrutigranjeiro; estocáveis, peixe e laticínios. Os mesmos possuem duração de 12 meses, podendo ser prorrogado por igual período. Para o fornecimento, as Cooperativas e Associações contratadas devem comparecer nas unidades escolares munidos dos documentos referentes à entrega, conforme estabelecido em contrato.

Texto: Geiza Ardiçon

Siga, Curta e Compartilhe:
error